Pantanal. Pescarias.

PASSEIO NO PANTANAL

“Agora que vocês purificaram a sua vida pela obediência à verdade, visando ao amor fraternal e sincero, amem sinceramente uns aos outros e de todo o coração.”

1 Pedro 1:22

Nesta época, meu pai e mãe, gostava de nos levarmos, no Pantanal Matogrossense, do estado de Mato Grosso, Poconé.

Amava pescar e ainda amo, lá pegamos uma canoa grande do meu pai, e subia o Rio, por umas 3 horas sem parar, quando estava bem longe, do nosso acampamento, ele soltava o barco para o rio levar, e ficávamos ali pescando nas correntezas do rio,  até chegar no nosso acampamento, que já era noite.

Pois dizia meu pai  que nas correntezas era lá que os peixes gigantes, tipo dourada, barba chata ficava, e era mesmo.

Um dia todos dentro do barco, meu irmão pescou o peixe Piranha, que são bravas e perigosas.  Quando tirou o anzol do peixe, mordeu                        

seu dedo ( quem não sabe mas a mordida de piranha tem  veneno, dizia meu pai), e não tinha ninguém que conseguia tirar aquele peixe piranha do dedo dele, misericórdia. 

Até que meu pai conseguiu tirar…                     

Foi um maior socorro! O dedo dele inchou tanto, que acabou a pescaria, fomos para nossa casa e hospital.

Mas graças a Deus não perdeu o dedo, dizia meu irmão que era como picada de cobra.

Mas fora isto, foi bom, pois antes disto, nadamos nos rios, com cuidado pois tem piranha, e mulheres menstruadas, não podem nadar neste rio, pois sim são atacadas pelas piranhas com certeza.