Primeiro Namorado.

“Ele fortalece o cansado

e dá grande vigor ao que                                     

está sem forças.”

Isaías 40:29

Eu vejo o Senhor Jesus em toda minha vida,

protegendo, guardando, direcionando,

mesmo que na época, ainda não tinha

intimidade com meu querido Jesus,

através do Espírito Santo de Deus.

Nesta época, nós íamos muito em Clube,

que éramos sócios, piscinas, quadra de vôlei,

sauna, muito grande até hoje. Conheci o Abelardo,

um garoto de 13 anos, super legal, gostava de passar

horas conversando comigo, deixava de sair com seus

amigos para ficar comigo. Todos consideravam ele

muito feio,  mas realmente era muito feio por fora,

mas por dentro era o mais lindo de todos. 

Nesta época não era vaidosa, andava relaxada,

somente de tênis, sem batom, cabelo curtinho

para não dar trabalho, tinha dois dentes gigantes na frente,

que todos me chamavam de coelha.

Disseram que davam certo, de tão feios que erramos.

Mas eu não estava nem aí com roupa, andar na moda,

ficar bonita, na verdade, no fundo eu fazia de tudo para

ficar até mais feia. Acho que é porque aquela ditadura

de beleza que até hoje tem, me enoja com tanta hipocrisia.

Viver de aparência, não era para mim.

Minhas irmãs, já amavam se arrumar, andar na última

moda do ano, batons, esmaltes, sapatos de última moda,

e namoravam sempre. Lógico ficaram lindas mesmo,

e os rapazes só olhavam as aparências.

Mas Belardo, filho de um dos fazendeiros mais ricos da

cidade, parecia comigo. 

Certa noite, meus dentes arrumaram, meu cabelo cresceu

e resolvi deixar arrumado, cresci de altura, até me assustei

quando percebi, que tinha me transformado em uma

mocinha linda, sem eu mesmo querer.

Saí como sempre de “vela” (vigiando nas festa pois minha mãe pedia),

para uma festa que minhas irmãs iam, e como sempre,

eu era invisível também com os amigos de minhas

irmãs e irmãos, mas neste dia algo aconteceu…

Todos olharam para mim, e perguntaram para minhas irmãs quem era está do lado? Disse :- UAI, minha irmã!

E todos me viram neste dia para frente.

Eu não gostei nada daquilo.

Chegou um rapaz que cheguei gostar dele, para conversar e perguntar meu nome.

Sou a Simone, que nunca quis conversar com ela, dá lincença!

E comecei andar somente com Aberlado. 

Ele usava maconha, mas eu nunca quis, tinha dentro de mim, que não  me faria bem, e ele me respeitava. 

E até ele disse, se eu queria                         

mesmo andar com ele.                                                               

É lógico! Você é meu amigo!                            

Antes com dentes de coelhos, e                  

amigo, agora arrumadinha, não                  

vou ser sua amiga? 

Quando fiz treze anos, com uns dois anos de amizade,

comecei namorar o Abelardo, só segurando a mão, e foi ele que me deu o primeiro beijinho.                                         

Todo mundo achava um horror um rapaz feio, narigudo,

olhos enormes, com óculos, baixinho, cabelo quase careca, me namorando.

 

    Era totalmente apaixonada por ele,  pois via minha alma,

e eu via sua alma…                    Respeito, companheirismo,  ligação de alma.                                          

Era algo diferente, até quase fora do normal.

“O Senhor está perto                                               

dos que têm o coração quebrantado                       

e salva os de espírito abatido.” 

Salmos 34:18