PERDA DO MEU AMOR.

“Pois a sua ira só dura um instante,

mas o seu favor dura a vida toda;

o choro pode persistir uma noite,

mas de manhã irrompe a alegria.”

Salmos 30:5

Os dias foram passando, minha mãe                    conversando com meu tio Ariston,                              resolveu voltar com meus pai,                                      e tentar andar juntos novamente.

Daí minha mãe levou para Jataí,                           Gislaine, Zizileu, e Lázaro (no quartel do exército). E falou para Gisele ficar                                       comigo em Goiânia.

Chorei muito mesmo, pois demorei                        a conversar com família, relacionar                               

com meus irmãos e ter um pouco                           de intimidade, demorei fazer turminha                           de amigos, pela minha timidez e                         

ser “invisível” na escola também.                             

  E chorei por ficar longe do Abelardo,                

meu primeiro namorado e amor e acho,                         

hoje, que até hoje, foi                                            

meu único grande Amor!

Queria ter tido mais tempo                                  

para ficar com minha mãe,                                  

meu pai, irmãos, avós, Abelardo…

Deste tempo, sempre fiquei longe…

Mas quando voltei na primeira vez,

 depois das aulas, fiquei mais triste ainda.

O Abelardo tinha morrido.                      

  Disseram  que ele foi com o pai                        

para fazenda, e na ida ele pulava da carroceria, ficava abrindo as                                   

portas de madeiras (porteiras),                                      para a caminhoneta, do pai passar. 

Só que numa dessas, ele caiu                                       da carroceria errado, o pai deu ré                                 sem querer, não sabendo que o                                   filho estava lá,  passou por cima                          da cabeça e pescoço, morrendo                               na hora. 

Chegando em Jataí, fui direto                                 para casa do Abelardo.

Quando cheguei os pais, chorando,                               me falaram. Sai da casa rapidinho, e                        chorei muito mesmo…                                       Engraçado,                                                              parecia que tinha perdido um futuro                          marido, mas perdi um grande amigo.

Hoje, olhando para trás percebo                                 que esta mudança até que era algo                         estranho. Mas se eu estivesse em                                Jataí na época, seria sim, bem pior…

“Por isso não tema, pois estou                                 com você;

não tenha medo, pois                                       sou o seu Deus.

Eu o fortalecerei e                                                         o ajudarei;

eu o segurarei

com a minha mão                                                       direita vitoriosa.”

Isaías 41:10

“Venham a mim, todos os que                                                                                  estão cansados e sobrecarregados,                                                                   e eu darei descanso a vocês.

Mateus 11:28