Convite da irmã para ser aluna cobaia no judô 1984.

.

Minha irmã, estava fazendo faculdade                    

de educação física, e eu entrei                              

no ensino médio. 

Na faculdade ela tinha aulas de                             

judô, como disciplinas, e tinha                          

que ter uma cobaia para ensinar,                               

o professor dela era o Sensei Shiozava,                        

o campeão Mundial de judô do Japão.

Comecei e gostei tanto que fui para o                                

Sesi Ferreira Pacheco, para iniciantes,                        

como aprendia rápido, já me colocaram                         

em 2 meses, na seleção do           Estado de Goiás.

Agora, vendo agora por cima, digo,                      

soltei toda minha raiva, frustrações, sentimentos ruins nas lutas, e acho                         

que Deus usou  e usa este esporte,                  

para tirar estresses, ansiedade,                              

dor de alma, no tatame.

Mas sei, mas quando treinava e                        

  treino tira da minha alma, as tristezas,                 

e ao mesmo tempo traz ânimo para                  

estudar, cuidar de nós mesmo.

Fui ganhando todos os campeonatos,               

até chegar no Brasileiro Nacional,                          

por falta de malícia, era iniciante me empurraram para fora do tatame, e                                

isto perde a luta. Fiquei no                                

segundo lugar do Brasileiro.

Na volta dos campeonatos brasileiros                          

e regionais, o sensei sempre me                              

dava um livro evangélico para ler,                         

como era meu professor,                                  

tinha que obedecer.

Com o tempo, Jesus foi falando               

comigo através destas leituras. 

O sensei Shiozava, me tratava                      

como uma filha, dizia sua esposa,                          

até minhas colegas tinham ciúmes,                     

e  não deixava os meninos ficar                     

brincando comigo,                                      

brincadeiras que machucam. 

A mulher do Sensei era grudada                     

na minha irmã, e o Sensei era                          

grudado em mim, daí dormimos                       

na casa deles, e seus filhos.

Achava tão bom, como se                                    

Deus tivesse me dado outra família…

Neste período de dez a quase quatorze anos, foi muito difícil para mim, e toda minha “família”.   

Em 1980 a 1984, digo que foi um                               

momento de trevas, mas quem foi                               

mais prejudicado, foi eu.                                          

Pois fiquei em Goiânia, muito                                 

nova sozinha,  pois minha irmã                          

quase nunca estava.

Jesus estava lá…

versículo 15 de Salmos 34: 

                “Os olhos do Senhor estão sobre os justos e os seus ouvidos,                                                    atentos ao seu clamor”.

Deus estava lá, me levando                          

conhecer o Sensei, para                                      

  chegar em Jesus.