Conversão. 1987.

A verdade.

Era que pelo sentimento de solidão,                          

era namorar sem gostar, e sempre                          

comparava com Abelardo, rapaz                                       

que morreu cedo com dezessete                        

anos,  tinha meus pensamentos,                                                          

afinidade,  mesma criação                                

de fazenda, companheiro,                            

amigão, não outro igual, não era                         

vaidoso, lindo por dentro                                          

e sei era fio por fora,  mas nunca                              

importei com isso…                                                     

Está solidão, fez eu cair de cabeça                                     

no judô, para estar com esta família                                

do judô, e caia de cabeça nos estudos,                          

  pois passei em    duas faculdades,                                      

no início, fazia Educação Física,                                               

  e Biomedicina, depois resolvi                                  

focar somente em Biomedicina-    Ciências Médicas.

Estudava muito, não queria ter                                              

a mente vazia, para não parar                                

para pensar na solidão.

“Sabemos que Deus age em                                           

todas as coisas para o bem                              

  daqueles que o amam, dos que                                  

foram chamados de acordo                                               

com o seu propósito.” Romanos 8:28

Em entrei em depressão,                                      

entrei no quarto e pensei em                                    

pular do prédio, do sexto andar.

Era por volta de 1987, com 17 anos,                       

tinha ganho  muitos campeonatos,                   

no auge do judô,  ia pegar faixa preta,                

escola e  faculdade entrando tudo certo,                      

mas por dentro, não estava bem.

Tudo vazio, sem direção, me                                

sentia muito sozinha, abandonada,                                    

Chegando em casa, no apartamento de                              

três quartos, vazio, fazia almoço, lavava                          

os pratos, ficava na mesa, ali por horas, ouvindo o silêncio, e nada. 

Mas antes de pular do prédio,                                 

ajoelhei, e disse:

  • “Se você Deus, existe mesmo me                          
  • responda agora, meu dilema,                    
  • pois quero saber se tem aí um Deus,                  que existe, mas tem que ser agora,                 pois vou pular daqui a pouco.”

Era uma resposta importante para                    

mim na época, mas não quero                         

dizer aqui. 

Passou uns cinco minutos mesmo,       

bateu a campainha, e era a tal          resposta de ORAÇÃO!

Nunca tinha visto isto, ou sentido algo tão sobrenatural na minha vida,

fiquei em choque, quando abri a porta. Deus respondeu minha oração,

ele me ouviu,      ele se importa COMIGO.

E senti a presença de Deus,              entrando dentro de mim, PAZ…                                                              Depois que foi embora a pessoa,                              

  parei de chorar, minha depressão       acabou, 

e comecei sentir a presença de Deus, dentro de mim.

Lembrei dos livros que sensei                           

  me deu, e senti Deus falando                      

  para procurar um lugar pra                                  

me ensinar a Bíblia.

Tiago 5: 17, 18.

“Elias era humano como nós.                          

Ele orou fervorosamente para                                 

que não chovesse, e não choveu                            

  sobre a terra durante três                                                     

anos e meio.  Orou outra vez,                                      

  e os céus enviaram chuva, e a                                     

  terra produziu os seus frutos.”